A celebração da música popular brasileira foi consagrada com as lindas produções poéticas e interpretações sensacionais. Emoções que serão lembradas por décadas como parte de uma importante etapa de produção musical, revelando artistas e enaltecendo o sentimento de pertencimento ao rincão Roraima.

 

A sensacional realização do Festival Canto Forte sagrou-se a programação musical mais prestigiada de todos os tempos, tendo a participação de número expressivo em todas as noites, deixando ainda mais inesquecível o momento e tendo o auditório do Palácio da Cultura Nenê Macaggi o rico espaço da criatividade e sintonia do Norte Brasileiro o espaço público de grandes execuções da música

 

Jéssica Stephens , 23 anos,  foi a vencedora do primeiro lugar do Festival, interpretando a música “Marias”, de autoria da poeta e compositora Zanny Adairalba, uma homenagem à força da mulher brasileira.

 

Qualidade em criação e apresentações espetaculares foram marcas constantes sentidas pelo público e desafiadora aos jurados.

 

A inovação ficou a cargo das transmissões que interagiam diretamente com o público ouvinte da emissora, proporcionando a aproximação com o público que não pode prestigiar, mas que acompanhavam cada música e com a participação de comentaristas nas noites de apresentações. Parabéns a Equipe da Rádio Equatorial pela excelência em transmissão e qualidade da sintonia aos ouvintes. Aos comunicadores sociais pela formidável cobertura ao reconhecimento salutar dos artistas do Estado de Roraima, e em especial a Ascom/Secom ao contínuo atendimento e acompanhamento de todos os profissionais da comunicação.

 

As 22 canções selecionadas marcaram com primor o Festival Canto Forte, celebrando artistas notáveis e revelando novas vozes para o público.

 

A autora de “Marias”, Zanny Adairalba, lembrou que foi a terceira vez que participou do Festival e a segunda em que foi premiada. “Só de participar do evento já estamos ganhando”, disse.

 

O cantor e compositor Júnior Caçari interpretou  “ Batida brasileira”, letra e música de sua autoria,e recebeu a premiação de  R$ 6 mil. Participando pela primeira vez do Festival, Júnior Caçari  elogiou a  organização do evento  que, segundo ele, ” traz dignidade  aos participantes.  Estou muito satisfeito com o segundo lugar”.

 

O barrismo enaltecido na música de Luiz Costa conduziu o público ao sentimento de pertencimento ao rincão Roraima. Sagrou com terceiro lugar, R$ 3 mil, porém ficou na memória com a autoria da música “Sou roraimense”, sua contagiante emoção expressas em palavras de amor a Roraima.

 

A radiante Vencedora da terceira edição do Canto Forte, em 2011, Cláudia Lima arrebatou, com a canção “Vista linda”, o quarto lugar, R$ 2 mil.Foram distribuídos R$25 mil em prêmios. E recebeu das mãos do grande incentivador da cultura o empreendedor Luiz Brito.

Inigualável as apresentações que ficaram guardadas de todos que puderam prestigiar a grande realização.

 

 O quinto lugar foi para “Acorde agora”,de autoria de Jair Amazonas, que também foi o intérprete.

 

“Rio a remar”, letra e música de Ismael Kauê, foi a sexta classificada.

 

Em performance deslumbrante da cantora e compositora Euterpe, vencedora do primeiro Canto Forte em 2009, interpretou a música “Mocororó”, uma parceria sua com o poeta Eliakin Rufino, ficando em sétimo lugar.

 

A oitava classificada foi “Encanto”,do compositor Marcos Terra, interpretada pela cantora Kárisse Blos.

 

Cunhã Pucá, letra e música de Alcides Lima cantada por Nazir Monteiro, foi a nona música classificada. 

 

O ritmo alucinante do nordeste foi consagrado com a décima posição com a canção, “Linhas de cordéis”, do compositor Neto Andrade, foi defendida por ele mesmo. Destacando sempre a pluralidade do festival e a rica miscigenação que integra determinação do Povo Amazônida.

  

 

O Festival de Música Canto Forte é realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com o patrocínio da empresa Rebouças & Cia e Nova Skin. O evento tem o apoio do governo estadual, por meio da Secretaria Estadual de Cultura (Secult).

 

O secretário da SECULT-RR, Marco Aurélio Porto, ressaltou a importância da Lei Estadual de Cultural que possibilita aos artistas a realização de seus projetos,do Conselho Estadual de Cultura (CEC), que concede o mérito cultural ao projeto, e do Grupo Técnico de Análise de Projetos (GTAP), da Secretaria.

Para o Secretário de Estado Marco Aurélio Porto: “É o governo do estado cumprindo seu papel e as empresas patrocinando a produção por meio da Lei. Agora, com a Secretaria de Cultura, sancionada pelo governador José de Anchieta, em 23 de janeiro passado, vamos ajudar ainda mais os produtores culturais. Vamos apoiar os artistasdo Uiramutã ao Caroebe”, disse o secretário.

 

A Economia Criativa é priorizada pelo grande idealizador e organizador do festival, Joemir Guimarães, além de promover o estreitamento das relações entre compositores, intérpretes e o público em geral, “o evento tem como finalidade revelar novos talentos, estimular a produção musical, difundir a música local e gerar emprego e renda”.

O resultado do grandioso espetáculo apresentado ao público mensura-se em 35 empregos diretos e outras centenas de indiretos. Desde a empresa contratada para fazer o cartaz, a imprensa, até o camelô que vem vender o seu produto.

A sensacional realização superou as expectativas dos organizadores e participantes, sendo a próxima edição, a ser realizada em outro local. Para Guimarães: “O Palácio da Cultura  cumpriu o seu papel, mas ficou pequeno para  o imenso  público que quer prestigiar o evento”.

 

                           

Shows- Os artistas George Farias, Halisson Crystian e Sérgio Barros, foram convidados especiais para cantar. Na segunda noite, foi a vez de George que apresentou composições de sua autoria e de parceiros. O cantor Halisson abriu a última noite do festival interpretando músicas já bastante conhecidas do público como Cidade do Campo, de Eliakin Rufino e Armando de Paulo, momento em que ele divide com a plateia a cantoria.

 

      

Oportunidade para os fãs dos artistas realizarem os seus registros de recordação dessa importante realização musical. Tantas emoções, enquanto concorrentes e público aguardavam ansiosos o resultado final, Sérgio Barros se apresentou cantando canções suas e de parceiros como os poetas Elias Venâncio e Eliakin Rufino. E é claro o registro de todos que prestigiaram esse formidável encontro da celebração musical e da arte popular brasileira em Roraima.

           

As três noites do Festival foram transmitidas em tempo real para o estado, para o Brasil e, para o mundo, pelas ondas da Rádio Equatorial FM na internet.

..........................

RORAIMA Natureza ao Extremo: o destino de todos os Turistas e Ecoturistas do Planeta.

Foto do Monte Roraima, disponível por meio do link: http://www.tocadacotia.com/wp-content/uploads/2013/02/lugares-sensacionais-que-nos-esperam-14.jpg

 

Terra de Makunaima, Roraima Extremo Norte a essência de inspiração do interior do Brasil Setentrional.

Nosso El Dorado Amazônico Roraimeira. Belezas sem limites!!!

Roraima: Conhecer e Amar! Belezas sem Limites...

Aventuras Naturalmente Deslumbrantes de Encantos e Exuberância Ecológica.