Esportes
 
CT Vavá Team realiza graduação de novos atletas
Dezoito atletas trocaram de faixa: oito receberam a azul; três, a amarela; dois, a branca; dois, a cinza; dois, a roxa; e um, a verde
 
Por - Redação I 20/12/2016 - 21:13 -
———————————————————————————————————————————
Fotos: Lucas Luckezie
O evento reuniu cerca de 100 atletas, entre crianças, adolescentes e adultos, dos núcleos dos bairros São Bento, Jardim Primavera e Buritis
O Centro de Treinamento Vavá Team de Jiu-Jítsu realizou na noite dessa segunda-feira, 19, sua terceira graduação em quase 15 anos de história. O evento reuniu cerca de 100 atletas, entre crianças, adolescentes e adultos, dos núcleos dos bairros São Bento, Jardim Primavera e Buritis, onde a cerimônia foi realizada. Pais e amigos dos lutadores prestigiaram.

A graduação reuniu oito mestres de três academias. Entre eles, estavam Vavá do Thianguá (CT Vavá Team) e os mestres Sandro Pitbull (CT Vavá Team) e Enok Medeiros, que dá nome à sua própria academia. Dezoito atletas trocaram de faixa: oito receberam a azul; três, a amarela; dois, a branca; dois, a cinza; dois, a roxa; e um, a verde.

Atualmente, o projeto social, de Vavá do Thianguá, atende cerca de 230 alunos, de forma gratuita. “O projeto é beneficente, gratuito. Atende não só crianças e jovens. Atende adultos também”, explicou o professor. Para fazer parte da academia, Vavá exige apenas “a força de vontade” do atleta interessado.

Vavá do Thianguá pretende ampliar o projeto, levando-o para os bairros mais distantes do Centro da cidade. O núcleo do bairro Pérola será o primeiro a ser implantado no ano que vem. A previsão é que em fevereiro as atividades comecem.

“Depois, quero botar no Cruviana. Eu quero atingir esses bairros bem distantes (do Centro), que necessitam desse tipo de esporte”, afirmou Vavá, que na segunda-feira recebeu um grau em sua faixa preta. “O esporte em geral, não só o jiu-jítsu, resgata a vida, salva vidas, traz a moralidade, o bem-estar. Ele traz a dignidade para a pessoa”.

O mestre Sandro Pitbull, que acumula títulos mundial, pan-americano e sul-americano em seu currículo, além de 32 lutas de MMA, disse que a ação de Vavá é um “sucesso”, devido à grande procura pela academia.

“Já temos dez anos com esse projeto, trabalhando o social, para essa criançada, para essa juventude, e mostrando para essa juventude o caminho certo, que é o esporte, que nos proporciona bastante coisas honestas, coisas sérias, coisas limpas”, declarou.

O atleta Anderson Comiotto, da categoria Máster (acima de 35 anos e acima de 92 quilos), que subiu da faixa branca para a azul nessa segunda-feira, treina há dois anos e meio no CT Vavá Team, a convite do próprio Vavá. Foi na academia que ele aprendeu a praticar a arte suave. A ele, o projeto proporcionou perda de peso, bem-estar, saúde, elevação da autoestima, além da possibilidade de lutar em competições oficiais de jiu-jítsu.

“A academia do Vavá está de parabéns”, declarou Comiotto, que antes de treinar na academia, tinha 105 quilos. Hoje, o atleta pesa 92. “Hoje estou com 92, me alimentando do mesmo jeito que antes”.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas