Cotidiano
 
Defesa do Consumidor alerta para evitar dor de cabeça na ‘sexta negra’
A tão esperada Black Friday chegou, mas se o consumidor não ficar atento pode ter problemas com propaganda enganosa
 
Por - Redação I 24/11/2016 - 10:06 -
———————————————————————————————————————————
Na atual crise financeira que passa o país, a população tem aprendido cada vez mais economizar e, principalmente, aproveitar as promoções oferecidas pelas empresas físicas e virtuais. Por isso, a Black Friday (sexta negra, em tradução livre) é tão aguardada este ano. O nome da promoção é referente a uma ação comercial criada nos Estados Unidos e que a cada ano ganha maior adesão das empresas brasileiras.

Para que você não tenha muitas dores de cabeça como tem acontecido nas edições anteriores, a Comissão de Defesa do Consumidor da OAB Roraima alerta para os riscos e apresenta dicas de como se dar bem nesse dia especial de descontos.

Segundo o presidente da CDC, Ronnie Brito, antes de tudo é importante ressaltar que, independente de a compra acontecer durante a Black Friday ou não, o Código de Defesa do Consumidor não deve ser desrespeitado nunca.

“Apesar de ser uma sexta promocional, isso não quer dizer que o Código de Defesa do Consumidor não tenha validade. Independente se for em um momento promocional ou não, tem que ser respeitado em todas as suas disposições”, orienta.

Um dos dispositivos do Código que precisa ser respeitado é quanto aos prazos para devolução ou troca de produtos adquiridos na internet. “Em caso de compra em loja virtual, o consumidor possui até sete dias para se arrepender da compra. Para o caso do produto não ser o que você esperava, o prazo é de 30 dias para reclamar de problemas em produtos não duráveis (ex. alimentos) e 90 dias se for durável (ex. televisão, micro-ondas e etc)”, relembra.

Muitos consumidores, principalmente, os de Boa Vista, aproveitam as ofertas do comércio online. Portanto, outro alerta da Comissão é quanto à confiabilidade do site que o consumidor pretende adquirir determinado produto. A orientação da Comissão é pesquisar se o site possui boa reputação no mercado, se tem endereço físico, telefone e CNPJ.

“Há alguns sites que monitoram a confiabilidade e os preços das principais lojas e-commerce (comércio eletrônico)”, reforça. Um local indicado para essa pesquisa pode ser o Reclame Aqui.

Não deu tempo de pesquisar antes? Ao pedir cautela nas compras, Brito sugere aos consumidores que façam pesquisas em outras lojas para ter certeza de que o preço é realmente promocional. “Pesquisar o preço é importante porque tem muitos sites que na véspera da promoção aumentam o preço para dar o desconto. Então compare os preços, seja aqueles pesquisados antecipadamente ou de outras lojas, com os preços apresentados no dia da Black Friday, para que não acabe pagando a ‘metade do dobro’”, ressalta.

Por fim, a Comissão da OAB orienta os consumidores a terem atentamente as regras da promoção e/ou da compra e, caso sejam desrespeitados, procurem um profissional da advocacia para que faça uma análise da situação e orienta da melhor forma possível a reivindicar seus direitos.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas