Política
 
Roraima consegue status livre de febre aftosa com vacinação, diz Jucá
Foi assinado um plano de trabalho entre o Ministério do Agricultura e a Organização Mundial de Saúde Animal no valor de 1 milhão de euros para o combate à febre aftosa na América do Sul
 
Por - Redação I 21/11/2016 - 19:46 -
———————————————————————————————————————————
Fotos: Divulgação
Jucá participou da reunião com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi e diretora da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE ), Monique Eloit
O líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB/RR), anunciou nesta segunda-feira (21), que o estado de Roraima conseguiu o status de livre de febre aftosa com vacinação. Jucá comunicou esta importante notícia para os produtores de Roraima, após participar de reunião com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi com a presença da diretora geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE ), Monique Eloit.

“Dentro dos próximos dias o ministro irá assinar a portaria oficializando esta decisão que muda a realidade da nossa economia em Roraima. O importante é que a decisão já foi tomada e nosso produtores podem comemorar esta vitória”, afirmou Romero Jucá.

Durante reunião, foi assinado um plano de trabalho entre o Ministério do Agricultura e a Organização Mundial de Saúde Animal no valor de 1 milhão de euros para o combate à febre aftosa na América do Sul, com a doação de fundos privados.

“Esta ação vai combater a febre aftosa nos países vizinhos que não podem investir no combate à febre aftosa, como é o caso da Venezuela e Guiana. Assim Roraima se beneficia, pois a doença passa a ter mais controle nesses países vizinhos “, disse Jucá.

O líder do governo fez questão de ressaltar a importância do trabalho realizado pelos profissionais da Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (Aderr) e da Superintendência da Agricultura no Estado.

“Essas pessoas merecem todo nosso reconhecimento pelas ações realizadas no decorrer de três governos de Roraima. Foram anos de persistência na vacinação em localidades distantes e hoje nossos produtores e a população em geral podem colher os frutos deste trabalho”, completa.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas