Diversão e Arte
 
Artesanato produzido no Caps AD é comercializado na ExpoArrte
Venda de peças confeccionadas na unidade gera renda para os dependentes químicos em tratamento e ajudam na socialização
 
Por - Redação I 05/11/2016 - 14:07 -
———————————————————————————————————————————
Fotos: Divulgação
Expoarrte, localizada no Parque Anauá, é realizada no domingo a partir das 17h
As mãos que antes eram usadas para consumo de álcool e outras drogas agora têm nova função e são utilizadas para produzir arte. Pacientes em tratamento no Caps AD 24h (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas) estão realizando, todos os domingos, a partir das 17 horas, uma exposição na Expoarrte, localizada no Parque Anauá, com peças produzidas pelos próprios pacientes que utilizam materiais recicláveis e não recicláveis.

Os preços variam de R$ 2,00 a R$ 70,00. O valor arrecadado nas vendas é dividido entre os pacientes e é uma forma de geração de renda para os pacientes. Segundo a diretora do Caps AD e idealizadora do projeto, Jandira Gomes, essa forma de gerar renda para o paciente é importante, pois além de receber pelo trabalho desenvolvido, isso contribui para o sucesso de seu tratamento.

"As peças produzidas pelos pacientes fazem parte do tratamento terapêutico e é também uma forma dele adquirir uma renda pelo trabalho realizado. Além disso, a exposição é uma forma de reinserção social uma vez que eles interagirem com a sociedade", disse.

As peças são produzidas com garrafas pets, jornais, tintas acrílicas, para tecido, fitas gomadas e crepe, pneus, palitos de picolé, latas de leite, entre outros, que podem ser doados na unidade.

Esse trabalho é em parceria com outras unidades da Raps (Rede de Atenção Psicossocial), incluindo o Caps III (Centro de Atenção Psicossocial), tanto do Interior quanto da Capital.
ATENDIMENTO - O CapsAD 24h atua em conjunto com a Unidade de Acolhimento Maria da Consolação Inácio de Matos, voltada para o tratamento prolongado de dependentes de crack, álcool e outras drogas, inaugurada há pouco tempo.

O fluxo de atendimento funciona da seguinte forma: a pessoa com dependência química que necessitar de ajuda deve procurar o CapsAD 24h, localizado na Rua Sócrates Peixoto, 138, Jardim Floresta. Lá o paciente é recebido e fica em tratamento por até 14 dias, e, se não apresentar melhora, é encaminhado para a Unidade de Acolhimento para dar continuidade ao tratamento por um período mais prolongado.

No entanto, se durante os primeiros 14 dias de intervenção ele conseguir se estabilizar, passará para o acolhimento diurno, onde continuará sendo acompanhado pela equipe médica e psicossocial e participará também das oficinas terapêuticas no CapsAD 24h.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas