Política
 
Deputados participam de reunião com Michel Temer sobre a crise energética em Roraima
No encontro, os parlamentares fizeram uma exposição sobre a precariedade do fornecimento de energia elétrica em Roraima
 
Por - Redação I 05/10/2016 - 12:30 -
———————————————————————————————————————————
Fotos: Benné Mendonça
“Precisamos de garantias concretas e prazos para a solução desta crise energética em Roraima,” cobrou o deputado Remídio Monai
A Bancada federal de Roraima se reuniu nesta terça-feira (4), com o presidente da República, Michel Temer, para tratar sobre a crise energética no Estado de Roraima. No encontro, os parlamentares fizeram uma exposição sobre a precariedade do fornecimento de energia elétrica em Roraima e relataram as dificuldades enfrentadas pela população.

O deputado Remídio Monai (PR-RR) lembrou que os roraimenses esperam há anos a concretização da promessa de interligação do Estado ao Sistema Nacional Energético (SNE) e foi enfático ao lembrar que a energia elétrica de qualidade é uma questão crucial ao impulso da economia em Roraima. “São 730 quilômetros de distância que nos separam da tão sonhada independência energética. Com a conclusão da obra do Linhão do Tucuruí, Roraima irá finalmente ter energia segura, de qualidade, sem riscos de apagões e com tarifas mais acessíveis,” afirmou.

No entanto, o deputado Remídio falou sobre os impedimentos que entravam a continuidade da obra do Linhão de Tucuruí. “Estamos dependendo da licença ambiental para cruzar a reserva indígena Waimiri-Atroari. Estamos falando de mais de 500 mil pessoas prejudicadas por uma decisão equivocada, que não observou que a construção do Linhão de Tucuruí está dentro da faixa de domínio da União na BR 174,” destacou.

Remídio Monai foi contundente em seus apontamentos ao falar da sensação de abandono do governo Federal com o povo roraimense. O parlamentar citou a construção de várias redes de transmissão em outros estados que também passam por áreas indígenas e foram concluídas. “Em Roraima, depois de iniciada a obra é que o Ministério Público se manifestou sobre as terras indígenas e a necessidade da Carta de Anuência para a continuidade do empreendimento. Precisamos de garantias concretas e prazos para a solução desta crise energética em Roraima,” cobrou o parlamentar.

O presidente Michel Temer pediu ao Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que interceda junto a Fundação Nacional do Índio (Funai), para que seja encontrada uma solução urgente ao problema. O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, também foi acionado e ficou com a atribuição de cobrar uma posição do consórcio Alupar, responsável pela execução do contrato, sobre a continuidade da obra. Temer se comprometeu a acompanhar de perto a situação relatada pelos parlamentares e agendou uma nova reunião em 30 dias.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas