Cotidiano
 
​Mais de 7 mil servidores estaduais não fizeram o Censo Previdenciário
O agendamento termina no dia 15 de julho e quem não atualizar os dados cadastrais terá suspenso o salário ou benefício
 
Por - Redação I 06/07/2016 - 14:01 -
———————————————————————————————————————————
Fotos: Divulgação
Cerca de 7 mil servidores, pensionistas e aposentados, ainda não fizeram o Censo Previdenciário
Ao todo, mais de sete mil segurados, entre servidores, pensionistas e aposentados, ainda não fizeram o Censo Previdenciário, do Governo do Estado. Foi o que revelou o último relatório enviado ao Iper (Instituto de Previdência do Estado de Roraima), pela Agenda Assessoria, empresa responsável pela execução do Censo em Roraima.

"Hoje, o que nos preocupa é o agendamento. Nos Polos de Recenseamento da Capital, ainda há muitas vagas disponíveis em julho", disse o consultor Técnico, Carlos Moraes, ao alertar o segurado para não deixar para a última hora.

O agendamento é obrigatório na Capital e termina no dia 15 de julho. Quem ainda não o fez, deve ficar atento ao prazo final. No site do Iper (www.iper.rr.gov.br), o segurado pode agendar, ou seja, escolher o dia, a hora e o local em que deseja ser atendido.

O Censo Previdenciário 2016 termina no dia 29 de julho. Servidores, aposentados e pensionistas ligados ao Executivo terão seus pagamentos e benefícios suspensos, se não fizerem o Censo. A penalidade está prevista no Decreto 21037, publicado no Diário Oficial do dia 10 de junho de 2016.

O Censo Previdenciário, previsto no artigo 69 da Lei 8212/1991 e no artigo 3° da Lei 10887/2004, é uma determinação do Ministério da Previdência e Assistência Social e deve ser realizado, no mínimo, a cada 5 anos.

"Como o último Censo havia sido feito em 2012 e desde então foram realizados vários concursos, o nosso banco de dados estava desatualizado", explicou o presidente do Iper, Ronaldo Marcílio. "O objetivo é atualizar os dados cadastrais dos segurados, para agilizar a concessão dos benefícios previdenciários, apurar irregularidades e subsidiar a Avaliação Atuarial", complementou.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas