Política
 
Parecer a favor do impeachment reflete a vontade da maioria da população, diz Shéridan
A votação final na Câmara deve começar na sexta-feira (15) e pode ser concluída somente no domingo (17)
 
Por - Redação I 07/04/2016 - 18:35 -
———————————————————————————————————————————
Fotos: Divulgação
Para a deputada Shéridan, membro titular da comissão, o parecer favorável do relator corroborou com a vontade da maioria da população brasileira
Em meio a muita confusão e gritaria, com protestos da base governista e ameaças de recursos à Justiça, o deputado Jovair Arantes, relator da comissão do Impeachment, apresentou, nesta quarta-feira (06), parecer favorável ao processo de afastamento da Presidente Dilma. O deputado tem como embasamento principalmente as 'pedaladas fiscais' do governo.

Para o relator, "a magnitude e o alcance das violações praticadas pela presidente da República, em grave desvio dos seus deveres funcionais e em quebra de grande confiança que lhe foi depositada, justifica a abertura do excepcional mecanismo presidencialista do impeachment".
Jovair concentrou seu parecer na análise de que Dilma cometeu crime de responsabilidade ao autorizar créditos suplementares sem aval do Congresso Nacional e ao praticar as chamadas pedaladas fiscais - empréstimos de bancos federais para cobrir despesas a cargo do Tesouro Nacional.

Para a deputada Shéridan, membro titular da comissão, o parecer favorável do relator corroborou com a vontade da maioria da população brasileira que clama pela saída da Presidente.

Shéridan afirmou ser incontestável que houve vários crimes de responsabilidade cometidos pela Presidente na "contratação ilegal de operações de crédito" e na "abertura de créditos suplementares por decreto presidencial, sem autorização do congresso nacional". A parlamentar ressaltou que presidente infringiu a legislação com as pedaladas, causando impacto substancial à economia.

“É o momento certo de honramos a confiança que o povo nos depositou e agirmos de forma responsável, lutando por um país mais ético, menos corrupto e mais transparente”, concluiu a deputada.

NA CÂMARA

A comissão especial tem 65 membros titulares. Governistas e oposicionistas avaliam haver uma pequena maioria pró-impeachment. A votação final na Câmara deve começar na sexta-feira (15) e pode ser concluída somente no domingo (17). Caso pelo menos 342 dos 513 deputados apoiem o impeachment, o Senado fica autorizado a abrir o processo. Se o fizer, Dilma é afastada do cargo.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas