Cotidiano
 
Combate aos incêndios florestais consomem mais de R$ 5 milhões
Somente em recursos financeiros empregados pelo Governo do Estado a soma chega a mais de R$ 5 milhões
 
Por - Redação I 06/04/2016 - 13:09 -
———————————————————————————————————————————
Fotos: Paulo Winz
Durante três meses, Roraima enfrentou sérios problemas com a forte estiagem
As primeiras chuvas que caíram em Roraima trouxeram alívio substancial às ações da Defesa Civil no combate aos incêndios florestais que atingiram o Estado durante os últimos três meses. Nesta quarta-feira, 6, a coordenação da Operação Estiagem divulgou os números parciais dos 100 dias de ação.

Somente em recursos financeiros empregados pelo Governo do Estado a soma chega a mais de R$ 5 milhões. Desse valor, R$ 295.688,35 foram gastos com alimentação nas bases de combate a incêndio.

Outros R$ 155.230,92 foram gastos com combustível. Além disso, a Operação precisou empregar R$ 829.435,29 no aluguel de carros, mais R$ 525.600,00 em diárias de caminhão-pipa para abastecimento de cidades, vilas e vicinais com água potável, e mais R$ 1.939.660,00 com o aluguel de aeronave para combate aéreo.

Do total, também foram utilizados R$ 755.426,80 na aquisição de materiais de combate a incêndios florestais, R$ 199.500,00 na aquisição de uniformes para brigadistas, R$ 400.000.00 para pagamento de salários dos brigadistas e mais R$ 235.500,00 na compra de 1000 caixas d’água de 500 litros que estão sendo doadas às famílias atingidas pela seca. O comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar e coordenador Estadual da Defesa Civil, coronel Edvaldo Cláudio Amaral, explicou que todos esses recursos são provenientes da dotação orçamentária do Estado.

BASES

Apesar da redução considerável do número de focos de calor e incêndios florestais no Estado, grande parte do efetivo continua mobilizado em 13 bases em 10 municípios: Amajari (Sede), Alto Alegre (Sede), Iracema (Repartimento, Campos Novos e Roxinho), Mucajaí (Samaúma e Apiaú), Cantá (Felix Pinto), Rorainópolis, Caracaraí (Sede, Itã e Cojubim), São Luiz (Sede), Pacaraima e Boa Vista. Nos municípios onde há quartéis do Corpo de Bombeiros, foram destacadas equipes específicas para as atividades de combate a incêndios.

EFETIVO

Atualmente 328 pessoas, entre militares do Corpo de Bombeiros, do Exército Brasileiro, Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis), Polícia Militar e brigadistas da Defesa Civil Estadual, são empregadas diretamente na operação.

INCÊNDIOS

Mesmo com as chuvas em várias regiões do Estado, a Defesa Civil ainda tem registrado alguns combates. Na última quinta-feira (31) foram nove combates e mais 24 vistorias. Já no final de semana, houve apenas três combates e nove vistorias. Durante toda operação foram feitos 1.192 combates a incêndios florestais e 833 vitorias.

ÁGUA POTÁVEL

A distribuição de água potável contabilizou até o encerramento do mês de março mais de 3.305.040 litros de água potável distribuídos a 7.200 famílias, beneficiando diretamente 29.906 pessoas.

CACIMBAS

Outra frente de trabalho executada em parceria com a Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) foi a escavação de cacimbas. Somente os locais vistoriados por militares do Corpo de Bombeiros somam 3.500 cacimbas construídas e mais 234 revitalizadas.

Para o coronel Amaral, os números revelam a complexidade da Operação. “A Operação Estiagem 2016 foi uma das mais difíceis já enfrentadas por nossa Corporação e exigiu esforço diuturno de todo o nosso efetivo. Permanecemos com o desenvolvimento diário das nossas ações e conforme o volume de chuvas for aumentando, daremos prosseguimento ao processo de desmobilização da operação”, finalizou.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas