Empreendedor
 
Sala do Empreendedor é o novo espaço de atendimento à população
O novo espaço público está em funcionamento há duas semanas e está localizado no Centro de Atendimento ao Cidadão, no Terminal João Firmino Neto, bairro Buritis
 
Por - Redação I 05/01/2016 - 13:29 -
———————————————————————————————————————————
Com o intuito de agilizar e facilitar o atendimento ao cidadão que pretende abrir, desenvolver ou mesmo encerrar uma empresa, a Prefeitura de Boa Vista disponibiliza a Sala do Empreendedor para atendimento ao empresariado local. O novo espaço público está em funcionamento há duas semanas e está localizado no Centro de Atendimento ao Cidadão, no Terminal João Firmino Neto, bairro Buritis, sob a administração da Secretaria Municipal de Economia, Planejamento e Finanças.

A intenção é proporcionar um ambiente específico para que o empreendedor receba informações e orientações sobre os procedimentos necessários que viabilizem a implantação da sua empresa, gerando maior agilidade no atendimento e proporcionando ao mesmo tempo redução na burocracia.

Boa parte dos serviços oferecidos pela Secretaria Municipal de Finanças serão também realizados no local. Como por exemplo, emissão de notas, abertura de processos, emissão de taxas como IPTU, Coleta de Lixo e DAM's para pagamentos de créditos municipais, parcelamentos e muito mais. Para o secretário municipal de Finanças, Márcio Vinicius, a sala é uma base de apoio ao trabalho já executado pela pasta municipal, mas com um diferencial, a parceria firmada entre a prefeitura, Junta Comercial, Sebrae-RR e demais órgãos que liberam licenças de funcionamentos.

“Esse é o amadurecimento de um trabalho que vem sendo realizado desde o início da gestão da prefeita Teresa Surita. É a consolidação daquilo que viemos trabalhando durante todo esse tempo que é a desburocratização do setor público tornando mais ágil a abertura das empresas aqui no município”, disse o secretário.

Promover o desenvolvimento econômico de Boa Vista é um dos objetivos propostos pela prefeitura. Mesmo em meio à crise, a desburocratização na abertura de novas empresas trará muitos benefícios à população, entre eles, a geração de mais emprego e renda. “Escolhemos este local por está na área central da cidade. Essa sala é uma tentativa de facilitar o atendimento aos nossos empresários. Nesse momento de crise, aproveitamos para implantar oportunidades com o desafio de trabalhar para gerar emprego e renda”, declarou, Teresa Surita.

Hoje, das 35 mil empresas ativas em todo o estado de Roraima, 25 mil estão na capital, nesse número estão as micro, médias, pequenas e os empreendedores individuais. O presidente da Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas de Roraima, Félix Ferreira, concorda com a ideia de que a grande patrocinadora da informalidade é a burocracia e para ele a iniciativa é como uma luz no fim do túnel para os empresários.

“Parece que finalmente a gestão pública no Brasil está entrando na realidade, porque a micro e pequena empresa é a maior percussora no desenvolvimento do Brasil. Até então tínhamos só deveres e obrigações, os direitos dificilmente eram reconhecidos. A partir do momento que a gestão reconhece e tira a burocracia, a informalidade diminui e todos saem ganhando”, disse Félix.

 
 
 

 

 

Imprimir Enviar Corrigir Tamanho: A+ a-




Notícias relacionadas